Eu, sendo, eu.

enho alguns princípios de vida que quero compartilhar com vocês meus queridos. Vejamos: 



  • Alegria de viver! 
Primeiramente: viver ao máximo
Segundamente: cumprir a todo custo a primeira coisa.
Terceiramente: ser feliz sempre. 

Tenho este lema comigo desde quando aprendi a valorizar as pequenas coisas. Pode parece clichê, mas você realmente vive? É esta pergunta que me faço todos os dias da minha vida. Sempre me pergunto se eu vivi ao máximo aquele dia e qual foi o saldo no fim do dia. Será que foi recompensador? Valeu a pena ter feito as escolhas que fiz e continuo fazendo? Quando não me agrada e retira minha felicidade, que é meu princípio mais precioso diário, eu faço as mudanças necessárias. Jogo a poeira do tapete e volto à mim mesmo, à minha essência, às minhas raízes e encontro a felicidade outra vez. 

Eu queria poder fazer vocês sentirem isto na prática. Mas é incrível a sensação com a qual eu termino o meu dia. Sensação de realização pessoal, de certeza da minha busca e da minha missão de vida. Todos os meus dias são de inspirações. Sejam dias mais tristes ou mais alegres. Sempre estou com um sorriso no rosto, com uma ajuda amiga, com uma lealdade que já nasci com ela. Esse é quem eu sou e este é um dos princípios que eu mais prezo. 

  • Astêya

Há no Yoga um Yama (refreamento) que tomo como princípio de vida e é conhecido mundialmente, mas não com este nome e nem é praticado em sua totalidade pela humanidade. Esse é o princípio de Astêya, ou seja, não-roubar. Na Bíblia Sagrada (E ensinamentos de Jesus Cristo) também há um mandamento igual, no capítulo 20 e versículo 15 do livro de Êxodo que diz: "Não furtarás". Há também outros versículos como em Levítico, capítulo 19 e versículo 11, que diz: "Não furtem, não mintam, não enganem uns aos outros". E só para confirmar, nas escrituras sagradas há também em Efésios, capítulo 4 e versículo 28, diz: "O que furtava não furte mais; antes trabalhe, fazendo algo útil com as mãos, para que tenha o que repartir com quem estiver em necessidade". E há inúmeros outros versículos sobre esta prática. 

Levo para minha vida este princípio e não roubo - seja a vida de um inseto - seja um cartão de banco de outrem. Comer e não pagar, roubar conteúdo de palestras, outros blogs e sites, cursos ou afins sem lhes dar o devido crédito e mérito, "pegar emprestado" e com jeitinho, de lojas e outros lugares e até mesmo pedir um dinheiro, livro ou peça emprestada e se esquecer de devolver, é ir contra este princípio e mandamento. Eu não participo disso. Procuro viver isto na minha vida em toda totalidade. 

  • Satya

Outro Yama no Yoga (refreamento) é a Satya, ou seja, verdade, veracidade. Jamais deve-se usar mentiras, inverdade ou distorção e achismos de algum fato. Não à boatos que se propagam e tende a ser espalhados com todos. Não se deve colaborar com isso.  Não se deve magoar os outros ou deixar de ajudá-los de forma alguma sob o pretexto de se estar dizendo a verdade, deve-se sim dizer a verdade de modo a usar as palavras como forma apaziguadora e calorosa quando possível. Jamais ferir os outros, mesmo com a verdade. Há muitas maneiras de se dizê-la. Tento todos os dias seguir com a verdade em todos os momentos do meu dia, mesmo nas situações embaraçosas em que se pensa que a única alternativa é ocultar a verdade ou até mesmo mentir. Tô fora. 

Há também alguns versículos na Bíblia Sagrada que falam a cerca da verdade e como não se deve mentir. Exemplos: Éfesios 4:25, que diz: "Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo" ou Salmos 145:18, que diz: "Perto está o Senhor de todos aqueles que o invocam, de todos os que o invocam em verdade". 

  • Ahimsâ


Um princípio bem conhecido e famoso é o de Ahimsâ, ou seja, o princípio popularmente conhecido como: "o da não violência". Não ferir, não machucar. É um princípio atemporal - e pode ser aplicado a qualquer situação de nosso cotidiano. Nada de esmagar nem os pequenos insetos pois eles contem em sua composição (seja ela qual for) o dedo de Deus. Não ferir nem fisicamente, nem com palavras, atitudes que desrespeitem o caminho e limite do nosso semelhante. Direito iguais, deveres também. Na maioria dos casos. Nada justifica qualquer tipo de agressão, mesmo no mais vil e revoltante crime. Este princípio é uma reverência à vida. A todos os seres e criaturas que hoje exitem e têm vida. Confesso que é um princípio doloroso em algumas situações e quando julgamentos algum ato de outrem, mas não é impossível semear no coração o amor imensurável pelo ser humano, pela vida, fácil é se render à raiva e à punição. Mesmo que falhemos, devemos procurar corrigir e reciclar nossos maus pensamentos e seguir em frente. Ninguém disse que é fácil, apenas possível. Cultivar o bom.

  • Sauchan

Este sim é um princípio de Niyamas (observâncias) que gosto muito e é um dos mais difíceis na minha opinião. O princípio da Sauchan, ou seja, limpeza, onde devemos estar em constante limpeza (material e espiritual). De dentro para fora. De fora para fora. Na casa física e no templo pessoal. Purificação interna e externa. Como bem sabemos, o nosso corpo é repleto de veias, mucosas, vasos, órgãos e ligações internas que nos possibilitam viver bem ou ruim, com atividade ou passividade dependendo de como o nutrimos com nossa ingestão de alimentos diária e necessária. Não devemos ingerir componentes ou substâncias intoxicantes, que alterem nosso estado de consciência ou que nos cause dependência com seu uso exagerado. Mesmo que algumas substâncias sejam naturais é preciso moderar em tudo e se manter sempre limpo. Ficar sempre de olho na alimentação saudável e cuidar da saúde corporal. 

Fora a limpeza habitual e do dia-a-dia (Como escovar os dentes, tomar banho e fazer toda a higiene pessoal) devemos ficar de olho na limpeza da mente. Eliminar pensamentos, emoções, mágoas, ressentimentos ou quaisquer estados negativos e inferiores que nos puxam para esses estados tão comuns hoje em dia, estados de irritabilidade, ciúmes, ódio, tristeza, cobiça, impaciência, entre outros tantos (isso requer prática, nada da noite para o dia e nem sempre teremos êxito em todas as situações, mas é preciso tentar essa harmonia).

  • Cruelty Free



Para quem não conhece, significa em tradução mais brusca, livre de crueldade e está relacionado com o ato de não fazer, contribuir ou colaborar com testes em animais. Se possível boicotar produtos alimentícios, indústria de cosméticos e tudo o que envolva fazer testes em animais seja para fins de pesquisa, vaidade ou qualquer outro fim. Não tem necessidade, ao meu ver, de continuar uma indústria que só causa dor e sofrimento aos nossos bichinhos que devemos amar e conviver. 

Apoio projetos em prol da causa animal, como o projeto Vira Latas - Os verdadeiros cães de raça, entre outros e luto como posso, seja na rua, seja na web, seja com ações sociais em prol de defesa e cuidado com os animais.  

  • Veganismo

Com o Cruelty Free me vi na necessidade de avançar mais um pouco nos meus princípios em defesa dos animais. Pensei: não tem sentido eu não usar produtos de empresas que não testam em animais se eu continuo comendo carne ou usando produtos de origem animal, empresas que apoiam eventos de casaco de pele e por aí vai. Como - desde que comecei a seguir este caminho - nunca quis entrar em contradição ou ser chamado de hipócrita, tento ao máximo realmente proteger os animais. Comecei pela minha alimentação e o resto foi bem mais fácil

Por isso defini o Veganismo como filosofia de vida e não tenho nada de origem animal na minha alimentação - tento ao máximo não tê-los. Quer saber a diferença entre Vegetarianismo e Veganismo e muitos outros temas relacionados? Então visitem meu outro blog sobre esses e outros temas relacionados, o Vegano Recifense. Fiquem informados! Se eu for falar sobre o Veganismo então esta breve explicação vai virar post. Não uso nada de origem animal ou que tenha sido testado nos mesmos (animais) e tento ser ecologicamente correto em tudo que compro e publico. Vou falar mais sobre este outro princípio logo abaixo. Em algumas vezes até no que curto nas mídias sociais (Facebook, Twitter, etc).

  • Sustentável



Nos últimos meses, quando comecei a me envolver de verdade com o Cruelty Free, Veganismo e filosofias de vida parecidas, me vi na necessidade de ser mais ecologicamente correto. Sabem? Economizar mais todo e qualquer recurso que eu puder, usar materiais que não agridam tanto ao meio ambiente, enfim, me adaptar e fazer o possível para viver uma vida mais sustentável e ambientalista. Não me considero um ativista, mas tenho grandes chances de me tornar um. Sempre me vejo envolvido até a cabeça na causa ambiental. Tento participar de eventos, me informar mais, sempre publico textos em prol da causa e faço a diferença nas pequenas ações do dia a dia. Faço o meu possível.  

Tenho reavaliado comprar um jeans caso não haja tanta necessidade por conta do desperdício de água que em cada peça é mal utilizada. Tenho aderido e valorizado mais o artesanato (que vai muito além daquela visão de palha seca que muitos conservam). Tenho procurado lojas e lugares 100% sustentáveis para ajudar e utilizar seus produtos. Nem sempre dá, mas sempre é possível comprar algo sem origem animal. Principalmente da industria têxtil. Aos poucos vocês vão vendo os posts por aqui. Ricos em detalhes e indicações. 

-

Há outros princípios relacionados ao auto-controle, amor ao próximo, auto-superação, auto-escudo, mas que vocês sempre estarão vendo nos posts por aqui minha postura sobre esses assuntos. Infelizmente, as vezes podemos passar como hipócritas, pois não há como selecionar demais ou até saber a origem certa de algum alimento ou ser 100% vegano, mas é importante sempre pesquisarmos e quando descobrirmos algo, fazer de tudo para mudar em prol do que achamos certo. Se algo mudar, atualizarei esta página, espero que tenham conhecido um pouco mais sobre mim e meus princípios e que tenham se identificado. 

Confundir os termos citados acima e muitos outros é muito comum para quem está e não está familiarizado com os princípios citados. Com o tempo e muita pesquisa, os temas se esclareceram na minha mente, e tenho feito as separações essenciais que muitos se confundem. Cada coisa tem seu lugar e cada termo seu significado, mesmo que seja semelhante (ou não) com outrem. 


Eu tenho algumas tendências - se é que posso colocar assim - do minimalismo que aplico no meu dia a dia. Porém não me considero minimalista. Não totalmente e nem quero ser. Creio que o tema sufoca demais e eu sou livre por natureza. Sem contar que vejo-o como um tanto radicalista e isto certamente não funcionaria comigo 100%. Para não entrar em contradição, posso afirmar somente, que sou simpatizante e admirador da causa. O minimalismo que eu conheço abraça a liberdade e é desta parte que quero me aproveitar. Sobre quem é minimalista: admiro muito. <3 


No dia a dia é quase impossível sermos 100% algum preceito (especialmente no veganismo como eu citei logo acima). Tento ao máximo seguir estes princípios de vida com determinação e coerência, mas nem sempre consigo. Somos imperfeitos e creio que cada um tem que procurar suas melhoras o máximo que conseguir. Sem extremismos ou fanatismos. NENHUMA DAS DUAS VERTENTES FUNCIONAM. Vamos seguindo nesta dura e curta caminhada que é a vida tentando acertar.  

Esta página estará em constante mudança, assim como seu criador. Caso você, meu amado leitor, queira saber mais sobre meus projetos (que estão sempre em coerência com meus princípios de vida) de forma atualizada e mais completa, tem um espaço aqui no blog dedicado a eles também. Clique aqui e seja redirecionado ou vá na barra lateral e clique nos banners fixados. Todas as páginas deste blog, posts e afins, são sempre atualizados ou quando há necessidade. Prezo muito a atualidade das informações. <3
Namastê | A minha essência saúda a sua essência ou
o deus que habita no meu coração saúda o deus que habita no teu coração.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.